domingo, 22 de junho de 2014

HOMEM É LEVADO COMO VÍTIMA A DP E LÁ É PRESO POR TER MANDADO DE PRISÃO EM ABERTO

Um fato inusitado aconteceu na tarde deste sábado (21), em Santa Cruz do Capibaribe-PE, um homem identificado como Paulo César, 30 anos, após entrar em discursão com outro homem em um bar no bairro da Palestina, foi vítima de golpes de faca peixeira na região da cabeça. Ferido foi socorrido ao Hospital Municipal Raimundo Francelino Aragão e depois conduzido por policiais do 24º BPM para prestar queixa contra o agressor na delegacia de polícia.

Porém na DP foi constatado que havia um mandado de prisão em aberto contra Paulo César por uma tentativa de homicídio contra uma mulher de nome Rosângela Maria da Silva. O caso aconteceu no ano de 2012 no bairro do Jaçanã. O comissário Marcelo Malhas foi responsável pela averiguação da ficha criminal da vítima e por sua prisão.

“No final do ano de 2012, a equipe do Malhas da Lei realizou algumas diligências no sentido de capturar o Paulo César, porém o mesmo se evadiu da cidade passou a morar em Afogados da Ingazeira. Ao retornar a cidade de Santa Cruz, ninguém aqui da delegacia tomou conhecimento do seu retorno, ele passou a morar em outro bairro. Neste sábado ele foi vítima dessa lesão corporal. Ao chegar no hospital e me deparar com ele, achei que ele era familiar, então pedi para que o oficial de operação conduzisse à delegacia. A vítima não queria prestar queixa, por saber de sua dívida coma justiça, ele seria resolvido por lá mesmo. Quando chegou aqui eu tirei minhas dúvidas, fiz as consultas e constatamos que ele já tinha processo criminal, o mandado de prisão estava em aberto, então foi dado voz de prisão a ele. Os demais procedimentos como avisar aos familiares as autoridades como juiz e promotor e a transferência para o presídio em Caruaru serão feitos neste domingo”, afirmou o comissário.


Questionado se a policia investigará se um crime tem ligação com o outro, Marcelo Malhas disse que primeiro vai ser analisado se o que Paulo Cesar sofreu se consolida como tentativa de homicídio ou lesão corporal. Ele afirmou ainda que a vítima que se tornou acusado em outro delito será ouvido e interrogado, dentro dos transmites legais do processo, mas não será descartada a possibilidade de investigação de algo que ligue um fato ao outro que aconteceu há quase dois anos atrás. 


Eduardo Rabêlo/Jornalista 

Nenhum comentário:

Postar um comentário